My EKG, O Site do Eletrocardiograma Logo

Como Ler e Relatar um Eletrocardiograma


Como Ler, Interpretar e Relatar um Eletrocardiograma

Imagem cortesia de stockimages / FreeDigitalPhotos.net

Não há necessidade de salientar a importância de ler corretamente um Eletrocardiograma. Por isso, tentamos fornecer as ferramentas que garantam e facilitem a correta interpretação do ECG.

Neste artigo nos concentramos nos passos para a análise correta do Electrocardiograma.

Lembre-se que o ECG deve ser avaliado como um todo. Todas as derivações do Eletrocardiograma devem ser analisadas em conjunto.

Os resultados obtidos devem ser analisados com os sintomas do paciente, seu registos médico e outros testes de diagnóstico.


Como ler e interpretar um Eletrocardiograma

Primeiro: Tenha certeza de que o ECG é bem feito.

Observe os valores de velocidade e a amplitude do papel, em um ECG normal, a velocidade é de 25 mm/s, e a amplitude é de 1 mV por 10 mm (ver Papel do eletrocardiograma). É necessário que as 12 derivações do eletrocardiograma se observem e que o ECG não tenha muitos artefatos, porque podem dificultar a sua leitura.

Se não for esse o caso, o Electrocardiograma deve ser realizado de novo, se possível.

Assumimos que o ECG é bem feito, então começamos a lê-lo.

Nós recomendamos seguir sempre a mesma seqüência, para não perder nada.


Frequência Cardíaca:

Em todo eletrocardiograma é necessário determinar a Frequência Cardíaca. No artigo Calcular a Frequência Cardíaca explicamos como calculá-la. Temos também uma Calculadora de Frequência Cardíaca para facilitar o seu trabalho.

Ritmo Cardíaco:

O próximo passo consiste em analisar se os complexos QRS são regulares. Mas, como saber isso?, simples, verifique se os intevalos RR (a distância entre dois QRS) são semelhantes, em caso de dúvida, você pode usar um compasso ou uma régua.

Depois, é preciso avaliar se o ECG está em Ritmo Sinusal. Para isso, é preciso determinar se cada ciclo cardíaco tem uma onda P gerada pelo Nó sinusal (ver Ritmo Sinusal) e sempre seguida por um complexo QRS.

Se estas condições se cumprem, podemos dizer que o Eletrocardiograma é rítmico e em Ritmo Sinusal (Ver Ritmo Cardíaco).

Intervalo PR e Intervalo QT:

Deve medir o intervalo PR (normal entre 0,12 s e 0,20 s) e o intervalo QT. Este último varia dependendo da Frequência Cardíaca, portanto, deve ser ajustado em relação à FC. O intervalo QT corrigido ou QTc é normal entre 350 ms e 450 ms (Ver Intervalos PR e QT).

Eixo Elétrico:

Um dos passos na análise do eletrocardiograma mais difícil de aprender. Uma maneira segura e fácil de saber se é normal, é quando D1 e aVF são positivas (leer mais em Cálculo do Eixo Elétrico).

Alterações do segmento ST:

Agora devemos avaliar o segmento ST. Essa linha temida que nos informa da presença de cardiopatia isquêmica.

O segmento ST, é medido desde o final do complexo QRS até o início da onda T. Deve ser isoelétrico, para ter certeza, deve ser comparado com o segmento PR ou segmento TP anterior (Ver Alterações do segmento ST).

Analisar todas as ondas e intervalos:

Para finalizar a análise deve avaliar cada uma das ondas e intervalos do eletrocardiograma que anteriormente não estudámos. Por exemplo, um Bloqueio de Ramo, anormalidades da onda P, ou anomalias da onda T (Ver Alterações de ondas e intervalos).


Como Relatar un Eletrocardiograma

Ao seguir issos passos, você será capaz de ler um eletrocardiograma. Mas falta organizar todos os dados obtidos para informar o ECG. Por exemplo:

Eletrocardiograma rítmico, em Ritmo Sinusal, com Frequência Cardíaca de 80 bpm. Intervalos PR e QT normais, con Eixo elétrico em torno de 45º, sem alterações do Segmento ST ou outras ondas e intervalos.

Este é um relatório completo. Mas se você deseja relatar um eletrocardiograma com mais detalhes, você pode estender-se em cada um dos intervalos, segmentos e ondas. Por exemplo:

Eletrocardiograma rítmico, em Ritmo Sinusal, com Frequência Cardíaca de 80 bpm, Onda P positiva em todas as derivações, exceto em aVR. QRS estreito, con eixo elétrico do QRS normal, em torno de 45º. Intervalo PR normal, de 0.15s. QT corrigido normal de 400 ms, segmento ST isoelétrico sem alterações significativas, Onda T positiva em todas as derivações, exceto em aVR. Sem presença de onda Q patológica.

Esperamos que você gostou deste artigo sobre como ler um eletrocardiograma. Se você clicar em Próximo, vamos explicar mais detalhadamente Como Calcular a Frequência Cardíaca.

Atrás | Próximo

Se você gostou... Compartilhe.