My EKG, O Site do Eletrocardiograma Logo

Taquicardia Sinusal Inapropriada


Taquicardia Sinusal Inapropiada

Artigo relacionado: Taquicardias supraventriculares.

A taquicardia sinusal inapropriada é uma taquicardia gerada no nó sinusal que aparece em repouso ou em situações de esforço leve e é acompanhada de uma sintomatologia que pode ser incapacitante para o paciente.

Os mecanismos da taquicardia sinusal inapropriada não estão completamente precisados até o momento.

É importante diferenciá-la da taquicardia sinusal propriamente dita e de outras similares, como a síndrome de taquicardia ortostática postural, pois podem ser confundidas por conta dos sintomas 1.


Quadro Clínico da taquicardia sinusal inapropriada

A taquicardia sinusal inapropriada é uma arritmia pouco frequente. Se observa mais no sexo feminino e na faixa e idade entre os 15 e 45 anos.

Apresenta uma sintomatologia muito variada, sendo que os sintomas mais frequentes são as palpitações e dispnéia, mas também pode ocorrer dor torácica, sensação de tontura, pré-síncope, e em alguns casos, síncope 2.

Esses sintomas estão relacionados ao aparecimento da taquicardia sinusal e costumam ser desencadeados por exercício leve, estresse psicológico ou mudanças posturais.

Apesar de que o quadro clínico poder chegar a ser incapacitante, a taquicardia sinusal inapropriada tem um bom prognóstico.

É frequente confundi-la com sintomas psicológicos ou de ansiedade, o que tende a atrasar o diagnóstico.


Eletrocardiograma da taquicardia sinusal inapropriada

Taquicardia Sinusal Inapropriada

Eletrocardiograma da taquicardia sinusal

  • Frequência cardíaca maior que 100 bpm.
  • Ondas P sinusais (positivas nas derivações inferiores e nas precordiais de V2 a V6)
  • Toda onda P é seguida de QRS

Como realizar o diagnóstico da taquicardia sinusal inapropriada?

O diagnóstico da taquicardia sinusal inapropriada é feito por exclusão.

Devem ser descartados outros tipos de taquicardias supraventriculares mais frequentes como a taquicardia intranodal, o flutter atrial ou a taquicardia atrial.

Em alguns casos, é necessário realizar um estudo eletrofisiológico para descartar outras causas de taquicardias.

Também se devem descartar causas de taquicardia sinusal “apropriada” (febre, hipertireoidismo, hipóxia, consumo de drogas, entre outros).

A presença de taquicardia sinusal em situações que não estão de acordo com as necessidades fisiológicas do paciente, acompanhada do quadro clínico, pode nos alertar para o diagnóstico.


Tratamento da taquicardia sinusal inapropriada

O tratamento mais usado na taquicardia sinusal inapropriada são os bloqueadores dos receptores beta-adrenérgicos (betabloqueadores) e os antagonistas do cálcio não diidropiridínicos (diltiazem e verapamilo).

É costume iniciar com doses baixas e ir aumentando de acordo com a sintomatologia.

O aumento do consumo de sal e água também pode diminuir a clínica dos pacientes.

Recentemente tem aparecido a Ivabradina (inibidor seletivo dos canais If), fármaco que atua a nível do nó sinusal e que está indicado na cardiopatia isquêmica e na insuficiência cardíaca, que se sugere como uma alternativa no tratamento da taquicardia sinusal inapropriada 3.

Em casos extremos, podem chegar a precisar de uma ablação seletiva ou completa do nodo sinusal, o que pode obrigar a implantação de um marca-passo definitivo.


Resumo

A taquicardia sinusal inapropriada é uma arritmia pouco frequente, gerada no nodo sinusal e que produz frequências cardíacas elevadas como resposta a estímulos leves que não guardam relação com as necessidades fisiológicas do paciente.

Seu eletrocardiograma é o de uma taquicardia sinusal e, apesar de cursar com uma sintomatologia que pode chegar a ser importante, tem um bom prognóstico.

Atualmente, seu tratamento se baseia no uso de fármacos que diminuem a frequência do nodo sinusal, sobretudo betabloqueadores e os antagonistas do cálcio não diidropiridínicos.


Artigo relacionado: Taquicardias supraventriculares.

Referências

Se você gostou... Compartilhe.